Untitled Document
megamenu.js | Last responsive megamenu you'll ever need
jQuery Devrama Slider Demo
Moradores fazem manifesto e levam panos sujos ao Ministério Público
Moradores fazem manifesto e levam panos sujos ao Ministério Público
Da Redação
Por Dentro de Tudo
Publicada 07/06/2016

Dezenas de moradores de Matozinhos participaram de uma manifestação pacífica contra a poluição, nesta terça-feira (07), na porta do Ministério Público (MP). Os organizadores do protesto aproveitaram que haveria uma reunião sobre o tema, convocada pelo Promotor Gilvan Alves, para mostrar a indignação sobre o assunto. Panos sujos, faixas, cartazes e máscaras simbolizaram o ato. Confira abaixo o passo a passo como aconteceu na manifestação.

De acordo com Cláudio Mendes, membro do Movimento Matozinhos Cinzenta e representante do Movimento no CODEMA, a situação está incontrolável. “Sou de São Paulo e vim para Matozinhos há poucos anos a procura de qualidade de vida. Fiz minha casa no bouganville e achei que teria tranquilidade, mas infelizmente não foi o que aconteceu. Acho importante este manifesto para que as autoridades vejam que temos vozes e vamos lutar para melhorar a nossa cidade”, disse.

A reunião teve início por volta das 13h20 e durou aproximadamente duas horas. Estavam presentes os representantes das empresas Fergubel, Cosimat e CRH, o Prefeito Antônio Divino, o Vereador José Miguel, e as líderes dos Movimentos Matozinhos Melhor e Matozinhos Cinzenta, Aline Tavares e Karine Araújo.

Por volta das 15h20, Aline Tavares contou aos moradores, que aguardavam ansiosamente na parte externa do MP, como transcorreu a reunião. “O Promotor disse que já era evidente a questão da poluição na cidade. Explicou que é importante equilibrar essa balança entre Meio Ambiente e Qualidade de Vida com ações efetivas. Além disso, antes de judicializar os fatos está tentando o diálogo com as empresas. A partir de agora será instaurado um inquérito sobre a poluição”.


O que será feito

Foram quatro deliberações feitas pelo Promotor Gilvan Alves, tendo prazo máximo de 30 dias. A primeira é que os documentos enviados pelos moradores, tais como fotos, vídeos e demais informações anexadas no processo encaminhado pelos movimentos passam a integrar um inquérito civil.

Além disso, em 30 dias, haverá visitas preliminares, sendo que o Diretor de Meio Ambiente, Gabriel Avelar, terá que apresentar relatório de visita em todas as sete empresas consideradas poluidoras na cidade, são elas: Cosimat, Fergubel, CRH, BR Metals, Fragminas, Sidermat e Calneves. O setor ainda terá que identificar empresas especializadas para orçamento, a fim de providenciar o inventário de mapeamento da poluição no município, pago pelas empresas envolvidas; os movimentos e a Prefeitura farão uma campanha conjunta contra as queimadas domésticas em geral.

Em 15 dias, as empresas poluidoras terão que apresentar o Plano de Controle Ambiental, Relatório de Controle Ambiental e Licença de operação ao Promotor da cidade.

Por fim, Aline Tavares conversou com a imprensa local e falou da importância da participação popular. “Estávamos escutando os moradores manifestando da sala de reunião. Isso faz a diferença”, finalizou.

Não foi informada a data para a próxima reunião sobre o assunto. As empresas sairam sem dar entrevistas.

Reportagem, fotos e cobertura: Ronaldo Araújo.

 Documento sem título
Comentários